Celso Sabino e partido não aceitam qualquer alteração no BPC

Após reunião, a bancada do PSDB na Câmara chegou à conclusão de que é contra as alterações no BPC (Benefício de Prestação Continuada), inclusas na PEC da Reforma da Previdência, entregue pessoalmente pelo pelo Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, ao Congresso, no dia 20 de fevereiro.

O deputado Celso Sabino se posicionou acerca das discussões ocorridas na reunião com os demais membros do partido: “A redução em mais da metade do valor é desumano. Pela proposta da reforma, o valor de um salário mínimo do benefício continuaria a ser pago apenas para os deficientes. Não podemos concordar com isso”.

O Líder da bancada do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), também se posicionou: “O PSDB tem convicção da necessidade urgente da Reforma da Previdência para o equilíbrio das contas do país, porém as modificações propostas no BPC são socialmente injustas e não contarão com o nosso apoio!
O benefício de proteção continuada atende idosos acima de 65 anos e pessoas com deficiência em condição de miserabilidade e sem qualquer meio para garantir sua subsistência. Não tem sentido mexer com estas pessoas na reforma da previdência, ainda mais quando se sabe que o impacto fiscal beira a Zero”
.

Segundo o deputado Celso Sabino,
“A Reforma da Previdência pode ser vista de diversos ângulos, isto é, positiva para alguns e negativa para outros. Por esta razão, é necessário manter as reuniões para discussões e estudos minuciosos sobre a proposta para, enfim, propor alterações que sejam mais justas para todos”.

Se você ainda não leu o texto da Reforma da Previdência e quer entender melhor sobre, basta clicar aqui.